Skip to content

Placebo

terça-feira, novembro 20, 2007

Foram estes últimos meses, bem verdade, tempos de incertezas e nervos tensos — ainda o são, mas com prazo marcado. Como se uma bruma esvoaçasse, persistente, ao redor da mente, impossibilitando raciocínio mais claro e útil. E mesmo que quase ninguém tenha reclamado, aqui vai uma pequena satisfação, já que há dois meses este espaço não vê uma única linha nova sequer. Trata-se de lei básica, em forma irônica, de como o jornalismo (o mau jornalismo, tão comum desde sempre) arregimenta seus leitores mais fiéis, notadamente aqueles que não conseguem erguer os olhos da folha e duvidar, estranhar o mínimo que seja.

“Se um jornal não consegue inflamar seus sentimentos é melhor desistir de vez, porque estes sentimentos são a parte essencial do leitor e é deles que este draga as suas obscuras lealdades e aversões. Bem, e como atiçar os seus sentimentos? No fundo é bastante simples. Primeiro amedronte-o — e depos tranqüilize-o. Faça-o assustar com um bicho-papão e corra para salvá-lo, usando um cassetete de jornal para matar o monstro. Ou seja, primeiro engane-o — e depois engane-o de novo. Esta, em substância, é toda a teoria e prática da arte do jornalismo….”

(Pág.118, Sobre o Jornalismo, do “Livro dos Insultos”, de H.L. Mencken, ed. Companhia das Letras)

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: