Skip to content

Auto-referência

sábado, agosto 25, 2007

“- O mais curioso – continuou inesperadamente Baltes, deitando o chapéu para trás – é que em todos os casos, sempre me observo a mim mesmo, e percebo o que se passa em mim. Tu não sabes o que tem sido em minha vida esta ânsia enfermiça de estudar-me, de observar-me, tanto na alegria quanto na dor, tanto na febre das paixões como nas mais secretas vaidades que parece dominar-me. Digo parecem, porque não conheci nenhuma paixão que pudesse dominar-me e cegar-me até o ponto de impedir que eu raciocinasse. Algumas vezes penso até que eu passei toda a minha vida refletindo. […]”

Vida Mutilada, de Alexandru Vlahutza (1858-1919), Antologia do Conto Romeno, Editora Civilização Brasileira, 1964.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: