Skip to content

Integração de fato ou estado racial

quinta-feira, junho 28, 2007

Complicados que somos, evidentemente a espécie humana não perderia a oportunidade de meter os pés pelas mãos em tão importante discussão que é a implantação ou não das cotas raciais e sociais nas universidades. Falo muito especialmente pela UFRGS, a representar o estado menos negro do Brasil, ainda que a contribuição desse povo seja riquíssima, tanto cultural, laboral ou de qualquer outra esfera. E, antes que descambe a redigir linhas no intuito de influenciar o leitor a compartilhar de minha posição quanto ao assunto, afirmo e subscrevo que estou em plena oposição às cotas raciais. Justifico dizendo que para minimizar a injustiça que praticamos e tornamos a repetir cotidianamente basta o desenvolvimento das chamadas cotas sociais. Essas, por sinal, apartadas da grande discussão por conta do gênio humano propenso à confusão, como disse. Porque, se analisarmos as coisas pelo que realmente são — derivações de problemas histórico-econômico-sociais — estaremos atacando o nojento cerne racista, trazendo para dentro da universidade aqueles que o sistema torto afasta, ou seja, pobres desprivilegiados, que são, em grandíssima parte, negros. Do contrário, nossa contribuição seria tão-somente a efetivação do Brasil como um Estado racial, como os Estados Unidos. A mim não serve, basicamente porque parece-me completamente descabido de sentido e razão qualquer segmentação, por sutil que seja, da Humanidade por cor de pele.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: