Skip to content

As lágrimas de Rio Grande

terça-feira, junho 19, 2007

Atônito desde já, dediquei alguns minutos da última noite à cobertura da antevéspera, resumida a tiradas pretensamente espertíssimas de repórteres desesperados por qualquer coisa que preencha seu tempo de veiculação, que do jogo em si nada resta a dizer a não ser tratar-se do maior confronto da história da Libertadores da América. A atenção despertada e os olhos ativos por um único depoimento, meia dúzia de palavras ditas num turbilhão verborrágico que tentava sintetizar o contexto, opinião deste e daquele, previsões, achismos. No pátio do Olímpico, falava um torcedor, bandeira azul, preta e branca na mão. De semblante abatido, postura levemente curvada, olhar pesaroso. À introdução curiosa do jornalista, explicou: “Queria pedir desculpas ao pessoal de Rio Grande… Estive com o tricolor em Montevidéu, Buenos Aires, São Paulo, mas… não consegui ingresso… Peço desculpas mesmo. Mas vamos lá… Não vou estar aqui no estádio, mas o Grêmio vai conseguir”. O homem, posso jurar, chorava ao fim das frases curtas e objetivas, das quais apenas a última teve a pontuação firme da voz. Seguiu-se uma estranha figura, de contornos ainda mais bizarros pela alegria do acesso garantido. Abraçaram-se, pularam, a esperança a desanuviar o espírito do primeiro. Gritaram em longo uníssono : “Grêmio!”. E de tudo isso tiro não a certeza da conquista, mas a beleza que é entregar-se assim. Não entro no mérito dos movimentos intra-campo, que aborrecem a muitos e, sinceramente, já nem me importam mais. Vou me deixar levar por esse sentimento sublime e saberei, saberemos todos, que o resultado de amanhã não será determinante na vida de nosso clube. Ele estará lá, sempre e sempre, de novo e de novo, porque tem a nós. E, faça ou não o Grêmio os necessários três ou quatro gols, erga ou não a desejada Copa, minha mente se dividirá entre os 11 que estarão na grama, os 50 mil da arquibancada, meu pai em casa, e um sem-número de outros. Minha mente estará nas lágrimas quase tolas e ainda assim justas do rapaz de Rio Grande, que bem podem ser de novíssima felicidade.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: